quinta-feira, 21 de março de 2013

VADE MECUM

VADE MECUM

Ao nascer uma fenda se abriu em algum lugar...
No solo da vida há muito mistério mesmo nos escombros de vidas deixadas de lado...
A vida é feita de claros e escuros e imagens e palavras filamentos de luz que iluminam
pedaços dos dia.
A luz primeva que se perdeu  no vazio da existência do universo
É possível ver beleza e doçura e todo tipo de virtude nas imagens inúteis do cotidiano!
Mas difícil é agarrar-se ou apoderar-se dela
friável
evanescente
fugidia...
A vida é sem graça e insossa...
Não há clareza nem proporção ou integridade...
Para tanto é necessário perseguir a todo custo a forma, para que esta, purificada, possa mostrar a beleza
se é que é possível forçá-la a aparecer.
Vem comigo para ver-sentir...
Necessário é uma transmutação da matéria em uma outra coisa sutil,
que possa refletir a luz, aprisionada na palavra, na imagem.
É necessário chegar próximo
ser iluminado a partir de dentro
É necessário a transfiguração do ordinário em extraordinário.
É preciso sentir o som
ver o gosto
tatear a lembrança
para descobrir estética
no brilho do ser das coisas...
Retire de cada coisa colocada la por geraçoes de pensadores
e a terás brilhante e solitária... ali parada.





POETA DA IMAGEM

Eu quero ser um poeta da imagem

Eu penso por imagens 

imagens com cores
imagens cinzas, preto e branco.
imagens com linhas
imagens com manchas.
Imagens são coisas que querem gritar um discurso...Na imagem é a sombra que quer ser notada 
no mínimo por um instante
Elas, as imagens, são um baú fechado para os olhos; quando fechamos os olhos as imagens 
brilham.