sábado, 22 de maio de 2010

FUNGI

Kingdom Fungi growing in Parque Farroupilha Porto Alegre/RS

FRANCIS BACON - PAINTING


A LINK TO HUGE MATERIAL 
ABOUT THE MOST IMPORTANT 
UK PAINTING:
FRANCIS BACON



A SIDEWALK BOY

A sidewalk boy
A sidewalk (also pavement, footway or platform) is a path along the side of a road or street.
A sidewalk represents a secure place to walk in streets.
In this picture there are two types of rock-laying in sidewalk:
regulars squared rocsk and irregulars ones.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

ISMAEL

WARRIOR II
Esse cara ai é um amigo meu... ele é um competente auxiliar dos meios pedagógicos onde trabalha (EB). Fico feliz por me auxiliar sempre que preciso.
Valeu Isma!!

segunda-feira, 17 de maio de 2010

ROBERT CAPA

The greatest war-photographer in the world: Robert Capa

08 DE MAIO DIA DO ARTISTA PLÁSTICO

08 DE MAIO DIA DO ARTISTA PLÁSTICO 
MÊS DE MAIO MÊS DO ARTISTA PLÁSTICO 
(Fonte da foto: UOL)

BLOG SOBRE DESENHO

DRAWING
DESENHO

SITE QUE MOSTRA AS POSSIBILIDADES DOS MATERIAIS USADOS NO DESENHO

PAPEL ALBUMINADO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
INSTITUTO DE ARTES VISUAIS

PROCESSOS ALTERNATIVOS DE FOTOGRAIA
Prof. Dr. Luiz Eduardo Robinson Achutti

A.C. Paim

Papel albuminado

Resumo: O papel albuminado foi inventado pelo francês Louis-Désiré Blanquart-Evrard (1802-1872) em 1849-50, sendo assim denominado porque empregava o albúmen extraído da clara dos ovos de galinha, como camada adesiva transparente destinada a fazer aderir os sais de prata fotossensíveis à base (papel). Foi o papel mais popular para a execução de cópias fotográficas até meados da década de 1890, quando foi definitivamente desbancado pelos papéis de prata gelatina. Todavia mesmo tendo experimentado um declínio a partir de 1895 ele continuou sendo produzido até meados de 1930.
Introdução

Louis Désiré Blanquart-Evrard nasceu em Lille a 2 de agosto de 1802 e morreu em Lilly em 28 de abril de 1872.
Originariamente Blanquart-Elvrard era comerciante de roupas que na década de 1840 passou a interessar-se pela fotografia. Estudou o calótipo e em 1847 foi o primeiro em utilizar este processo na França. Em 1849-50 desenvolveu e publicou uma técnica para impressão à albumina, que logo experimentou um grande sucesso, sendo o principal processo usado por trinta anos.
O novo processo foi chamado de papel albuminado (Papier albuniné). Blanquart-Evrard apresentou seu invento na academia de artes de Paris a 27 de maio de 1849. O método consistia em cobrir (o suporte) a folha de papel com clara de ovo salgada, o que a tornou brilhante como se tivesse sido coberta por verniz, depois disso o papel era sensibilizado com uma solução de nitrato de prata.
As chamadas “provas de albumina”, reproduziam com grande fidedignidade os pormenores e os tons nas sombras e nas altas luzes, o que a tornou rapidamente aceita no mercado e a partir de 1855, passou a ser o suporte mais usado para a impressão de negativos de colódio úmido.
Em 1851 Blanquart-Evrard fundou em Lilly a Imprimière Photograpique, a primeira loja francesa a produzir papel albuminado em grande escala.
O papel albuminado consistia em separar a clara do ovo da gema e usar somente a clara (albumina) que era mistura com sal de cozinha (NaCl), para emulsionar o papel. Depois de emulsionado com albumina e seco, o “papel albuminado” era então sensibilizado com nitrato de prata. Este processo produz uma superfície brilhante no papel e resulta em imagens contrastadas com luzes baixas (nos pretos) e uma grande nitidez, pois a imagem se forma dentro da camada de albumina espalhada sobre o papel sem migrar para as fibras do mesmo. Uma grande vantagem é que esse método permite emulsionar outros materiais que não o papel, como por ex: madeira, pedras, cerâmica etc.
Todavia esse método apresenta inconvenientes, tais como: amarelecimento da imagem nas altas luzes (brancos); a albumina reage quimicamente com o metal de prata, reação para a qual não foi encontrada uma solução. Reação esta que produz um craquelamento da foto. E por fim a clara do ovo se decompõe rapidamente (liberando um odor nauseabundo), não podendo ser estocada por muito tempo, e por isso deve ser mantida na geladeira (refrigerada) , mesmo assim não por muito tempo.

Base química

A albúmina é uma proteína que se encontra em grande proporção no plasma sanguíneo e na clara do ovo, sendo a principal proteína do sangue e assim umas das mais abundante no ser humano. A concentração normal de albumina no sangue humano esta entre 3,5 e 5,0 gramas por decilitro, perfazendo em torno de 53% das proteinas sanguineas. A albúmina é fundamental para a manutenção da pressão osmótica, necessária para a distribuição correcta dos líquidos corporáis. A albúmina como toda proteina tem carga eléctrica negativa. Na eletroforese em gel das proteínas presentes no soro a um pH fisiológico, a albúmina é a que mais avança devido a sua elevada concentração de cargas negativa na molécula.
O albúmen é formado por um material semi-sólido ou gelatinoso, com grande conteúdo hídrico e protéico (albumina). Esta camada de proteína do ovo protege o embrião dos choques mecânicos e fornece toda água de que o embrião necessita para o seu desenvolvimento além de aminoácidos. Nessa zona (clara) diferenciam-se dois cordões protéicos chamados de chalazas, que tem por função manter a gema no meio da clara. O albúmen tem em torno de trinta proteínas diferentes, entre elas a ovalbumina (54%), ovotransferrina (13%), ovomucóide (11%), lisozima (4%) além de globulina entre outras. A ovalbumina contém todos os aminoácidos essenciais, a ovotransferrina une-se a metais polivalentes. Ao perder a água adsorvida entre as moléculas de proteínas forma-se uma camada brilhante sobre o substrato, pelo encurtamento das distâncias entre as cadeias polipeptídicas. O que no caso do uso como emulsão em fotografia concentraria os sais de prata tornando a foto mais nítida e contrastada.
Papel albuminado

Quebre os ovos e separe as claras das gemas
(você pode usar as gemas para preparar algum doce ou mesmo colocar na sopa).
Coloque 80ml de clara em um becker
Bata as claras até obter uma emulsão homogênea
(em ponto de neve)
Dissolva 2 g de sal de cozinha (NaCl) em
20 ml de água destilada
Misturar com a clara e bater bem
Deixar descansar ou até que as bolhas desapareçam
Aplique sobre um dos lados do papel
Deixe o papel secar pendurado
Depois de seco acrescente outra camada de clara sobre o papel
Deixe secar novamente.

Referências

Revista Digital Universitaria, 10 de octubre de 2004, Volumen 5, Número 9. ISSN: 1067 - 6079

Louis-Désiré Blanquart-Evrard (1802 - 1872) — Artwork images, Exhibitions, Reviews

Webb, Randall & Reed, Martin (2007) Alternative photographic process. A working guide for image makers.

·http://www.ronaldo-simao.adv.br/historia01.asp

TALBÓTIPO (TALBOTYPE)


UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
INSTITUTO DE ARTES VISUAIS

PROCESSOS ALTERNATIVOS DE FOTOGRAIA
Prof. Dr. Luiz Eduardo Robinson Achutti
A. C. Paim

TALBÓTIPO
(TALBOTYPE)
WILLIAM HENRY FOX TALBOT, nasceu em 11 de fevereiro de 1800 em Melbury Abbas (Dorset, Inglaterra) e morreu em 17 de setembro de 1877 em Lacock Abbey, próximo a Chipenham, Wiltshire, UK). Ele era um proprietário de terras, erudito e cientista, além de químico e pioneiro da fotografia. A talbotipia ou talbótipo é um processo fotográfico inicial (early photographic technique) inventado por William Henry Fox Talbot em 1830. Nesta técnica, uma folha de papel coberta com cloreto de prata (AgCl, composto químico sólido, cristalino cúbico, branco, pouco solúvel em água (nearly insoluble in water) mas solúvel em uma solução de água e amônia, ou tiosulfato de sódio (hipo)), é exposta a luz em uma câmara escura. Aquelas áreas tocadas pela luz tornam-se negras, produzindo uma imagem negativa. O aspecto revolucionário desse processo esta baseado na descoberta de Talbot de um composto químico (Ácido gálico = substância que ocorre em muitas plantas em ambos estados: livre ou combinado com ácido galotânico, em plantas do gênero Caesalpina sp) que pode ser usado para “desenvolver” a imagem no papel, i.e., acelerar a reação química do cloreto de prata que foi exposto a luz. O processo desenvolvido permitiu um tempo de exposição muito mais curto, caindo de uma hora (Daquerreótipo) para um minuto (talbótipo = talbotype).
Em 1839, o mesmo ano que Daguerre anunciou seu método de fixação de imagens em uma placa de cobre tratada com prata, (silvered copper plate) William Henry Fox Talbot, publicou “The Art of Photogenic Drawing” (A arte do desenho fotogênico), uma descrição de como ele procedeu para capturar imagens permanentemente em papel. Quatro anos antes, Talbot produziu minúsculas vistas fotográficas de Lacock abbey (Abadia de Lacock) sua casa em Wiltshire. Pelo tratamento dessas pequenas imagens (pictures) com cera (de abelha), Talbot foi capaz de usá-las como negativos e posteriormente imprimir cópias. Embora ele tivesse inventado o processo fotográfico negativo/positivo, as primeiras imagens de Talbot eram pequenas, requeriam um tempo de exposição muito longo e eram desprovidas de detalhamento e brilho do daguerreótipo (lacked the sharpness of detail and brilliance of the daguerreotype). Talbot continuou seus experimentos e melhorou a qualidade de sua fotografias
Cobrindo o papel com iodeto de prata (AgI = silver iodide) e desenvolvendo as imagens com uma solução de galo-nitrato de prata (ácido gálico + prata). Talbot patenteou seu novo processo em fevereiro de 1841 descrevendo suas imagens como “Calotypes”.
Em 1835 ele publicou seu primeiro artigo documentando suas descoberta fotográfica, do papel nagativo. Sua obra: The Pencil of Nature (1844-46) foi o primeiro livro com ilustrações fotográficas. Talbot também publicou muitos artigos sobre matemática, astronomia e física. Sob pressão da Royal Academy e da Royal Society, Talbot teve que relaxar seu controle sobre a produção das calotipias (calotypes) em agosto de 1852, permitindo que amadores e artistas usassem o processo, mas ele insistiu que todo o fotógrafo profissional que queria usar seu processo de calotipia para tirar retratos (for taking portraits) tinha que comprar uma licença que geralmente envolvia uma quantidade anual de 100 a 150 libras.
Há polêmica em torno da paternidade da fotografia principalmente em torno da paternidade da idéia. Os ingleses, que reivindicam como sua a invenção da máquina fotográfica, argumentam que o processo "negativo-positivo" criado por Talbot foi o único tornou-se a base da fotografia como a conhecemos. Foi de Talbot a primeira foto reproduzida em papel (talbótipo), e o primeiro livro com fotos.
MATERIAL NECESSÁRIO

Sal de cozinha (NaCl)
Nitrato de prata (AgNO3)
Papel de desenho de boa qualidade (para uso nas provas e trabalhos)
Fixador (tiosulfito de sódio)
Luz ultra-violeta ou luz do sol
Chassis com vidro para colocar o negativo
Negativo bem contrastado
No mínimo três bacias: duas para lavagem, outra para o fixador

Salga do papel

1 litro de água
20 g de sal de cozinha ou 20 g de cloreto de amônio (NH4)Cl
Dissolver bem o sal na água deixar um tempo (5 min) descansando
Colocar a solução numa bacia e mergulhar a folha de papel por 5 minutos
Resultados melhores se obtém preparando os papéis anteriormente com alguns dias de antecedência.
Soluções

Solução A
50 ml de água destilada
12 g de Nitrato de prata

Solução B
50 ml de água destilada
6 g de ácido cítrico

Misturar a solução A e B (depois de dissolvidos)
Guarde a solução num vidro fosco com tampa de rosca (ao abrigo da luz)
Fazer as solução A em um ambiente com luz atenuada (luz vermelha).
Aplicar no papel com pincel
Secar o papel (pendurando-o em um varal, no escuro)
Fazer uma marca no lado em que a solução não foi aplicada
Impressão (cópia)
Tendo feito um negativo bem contrastado,
Coloque o lado da emulsão do negativo em contato com a emulsão do papel
Colocar no chassi (prensar com o vidro)
Levar ao sol ou na mesa de luz (que pode ser ultra-violeta UV)
Sol: 2 a 3 minutos
Luz UV: 5 a 7 minutos

Tratamento
lavar bem em água corrente (da torneira) por pelo menos 20 minutos para tirar o excesso de nitrato de prata, isto evita que os sais continuem se alterando mudando de cor a imagem.
Fixação
Solução do Fixador

500 ml de água
25 ml de hipossulfito de sódio anidro (Tiosulfito de sódio)
2 g de carbonato de sódio
Dissolver bem
Mergulhe o papel com a imagem (foto) deixando o fixador agir de 2 a 5 minutos

P.S. : se voce decidir usar o fixador comercial (fixador Kodak) use uma diluição de 10 vezes
(por ex.: 1ml de fixador para 9 ml de água)
Pendure a folha para secar
Lavagem final
Lavar novamente por no mínimo 30 minutos.
Encolagem a gelatina

Para tornar o papel menos poroso, pode-se usar uma solução de gelatina (o que faz com que as fibras do papel fiquem mais juntas) e evita que os sais de prata penetrem para o interior das fibras do papel tornando a imagem menos nítida.
Para isso voce vai precisar:
300 ml de água
2 g de gelatina comestível incolor e sem sabor
6 g de sal de cozinha

Pese 2 g de gelatina e mergulhe em 100 ml de água deixar por 15 minutos, quando a gelatina inchar complete com
200 ml de água quente (45°C) e misture até dissolver, por fim dissolva o sal.

Com a solução ainda líquida pincele ou mergulhe a folha de papel e deixe por 30 segundos, retire e deixe secar.

P.S.: tenha o cuidado de impregnar toda a superfície do papel.
Cuidando sempre para evitar as bolhas, que impedem a gelatina de percolar no papel.
Depois que as folhas secarem pincele o nitrato de prata (no escuro ou sob luz vermelha)
Siga normalmente os passos como do papel salgado
Atenção: segundo alguns autores o papel impregnado com gelatina dura em torno de 2 semanas, todavia eu ja usei o papel com mais de duas semanas).

Vantagens

Esta técnica produz cópias estáveis com as altas luzes delicadas e é considerada a técnica mais antiga de cópia fotográfica (talbótipo).

Inconvenientes:

Cloreto de prata é muito sensível a sujeira e poluição, por isso manter o atelier bem limpo, livre de contaminantes.
***************************************************************************
Referências
Webb, Randall & Reed, Martin (2007) Alternative photographic process. A working guide for image makers.
Internet

domingo, 16 de maio de 2010

BLOG SOBRE ARTE

blog very interesting
vale a pena uma demorada visita a esse blog


PALE BLUE DOT - CARL SAGAN

PALE BLUE DOT


BLOGS SOBRE IMAGENS

BLACK AND WHITE PHOTOGRAPHY



FOTOCLUBE f/508

LIQUID SCULPTURE

UM LOBO GOSTA DE PORCO

UM LOBO GOSTA DE PORCO


BLOGS SOBRE IMAGENS

LINKS
 
Blog muito interessante que tras historias curtas sobre muitos artistas atuais e passados
vale a pena conferir os videos.

Um fotógrafo muito interessante

Ele captura a imagem em todos os seus detalhes
ninguem consegue olhar e não ficar impressionado com seu trabalho

Artista performático que desde 1960 vem usando a performance para promover um novo olhar no expectador. Embora trabalhe com performance ele tambem trabalha com pintura e fotografia.





ROBERT DOISNEAU

Robert Doisneau se tornou mundialmente conhecido por suas imagens que mostravam o lado popular e romântico de Paris. Uma de suas imagens mais famosas é Beijo na Prefeitura (Baiser dans l''Hotel de Ville), de 1950, feita para a revista norte-americana Life.
Com seu trabalho ele influenciou cineastas como Marcel Carné ou escritores como Jacques Prévert, entretanto ele sempre recusou a ideia de que seu trabalho fosse de um historiador da capital francesa ou de um etnólogo. Com seu olhar humanista sobre o homem e sobre a vida em Paris, ele percorreu durante 60 anos as ruas de sua cidade registrando todo tipo de atividade humana. Uma das raras tiragens dessa foto foi vendida em um leilão por US$ 277 mil (o equivalente a R$ 500 mil)








BLOGS BRASILEIROS PELO MUNDO

Brazilian blogs around the world

Essa eu não sabia embora não tenha ainda verificado todos os blogs se exitem ainda ou não. Mas é interessante notar que existe uma lista de blogs brasileiro pelo mundo... E como eu pude verificar em alguns casos vale a pena ler e visitar esses blogs!

ANO CHOPING - FRANÇA

ANO CHOPIN - FRANÇA 2010
dia 1° de março, é o aniversário "oficial" de Fréderic Chopin, embora seu registro de batismo afirme que ele nasceu em 23 de fevereiro, há 200 anos. Na dúvida, seu país natal a Polônia comemora este bicentenário com um concerto que deve durar 171 horas, que começou dia 23 de fevereiro e deve terminar hoje. Na França, este ano de 2010 foi declarado pelo ministério da cultura como "Ano Chopin". Pois ele nasceu na Polônia, mas seu pai era francês, da região da Lorena, e que emigrou para a Polônia em busca de melhores condições de vida.



Fonte:

LORETTA LUX

http://www.lorettalux.de/

Loretta Lux (born 1969) was born in Dresden, East Germany and is a fine art photographer known for her surreal portraits of young children. She currently lives and works in Monaco.
Lux graduated from the Academy of Visual Arts in Munich in the 1990s, and debuted at the Yossi Milo gallery, New York in 2004. The show put both Yossi Milo and Loretta Lux on the map, selling out and setting prices never before seen from a new gallery.
In 2005, Lux received the Infinity Award for Art from the International Center of Photography. Her work has since been exhibited extensively abroad, including solo exhibitions in 2006 at the Fotomuseum Den Haag, The Netherlands, and the Sixth Moscow Photobiennale. Her work is included in numerous museums collections worldwide, including the Solomon R. Guggenheim Museum; J.Paul Getty Museum, Los Angeles, San Francisco Museum of Modern Art; Museum of Contemporary Art, Los Angeles; Los Angeles County Museum of Art; Art Institute of Chicago; Israel Museum, Jerusalem; Fotomuseum, den Haag; Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia, Madrid and Musée de l’Elysée, Lausanne, Switzerland, and National Museum of Art, Osaka, Japan. She has had portfolios featured in numerous fine art magazines.
The artist executes her compositions using a combination of photography, painting and digital manipulation. Lux's work - at once alluring and self envigorating- usually features young children and is influenced by a variety of sources. She originally trained as a painter at Munich Academy of Art, and is influenced by painters such as Agnolo Bronzino, Diego Velázquez, Phillip Otto Runge. Lux also owes a debt to the famous Victorian photographic portraitists of childhood such as Julia Margaret Cameron and Lewis Carroll.


Ref.:



Other links about Loreta Lux from Wikipedia:


(Infinity Award)
works in museums collections ( selection ):
http://www.mocp.org/collections/permanent/lux_loretta.php
(Museum of Contemporary Photography, Chicago)


reviews and portfolios (selection):
(TIME Magazine)


(NY Times)

(Sunday Telegraph)

(Portfolio magazine)

Fonte
Another links
Links que valem uma visita:
(Prédios abandonados em São Paulo - BR)
http://www.uva.co.uk/archives/126
(United Visual Artists)


MINHA MÃE QUANDO JOVEM

1938

RICARDO

My very best friend Ricky, London, UK.

SERIGRAFIA

Silkscreen on paper
(for sale)

LAGO GUAÍBA - ÁGUAS POLUÍDAS

Guaiba lake: poluted waters

BYKE EM PORTO ALEGRE - PARQUE MARINHA DO BRASIL

BYKE
Lembrando que sempre ha uma realidade a ser fotografada...
Remember: always there are something to be photographed.
Some beautiful and dignity there are in the world...