quarta-feira, 24 de novembro de 2010

29ª BIENAL DE SÃO PAULO

Anna Maria Maiolino 
(Arroz e feijão - 1979 / 2010)
Instalação

29ª BIENAL DE SÃO PAULO

GIL VICENTE

29 ª BIENAL DE SÃO PAULO

IA - UFRGS 
VISITING THE XXIX BIENAL IN SÃO PAULO

REGINA SILVEIRA

TRAMAZUL
Obra de Regina Silveira na fachada do MASP


Regina Silveira revestiu as 202 janelas do edifício desenhado pela arquiteta Lina Bo Bardi com imagens de um céu fixo, nuvens construídas em ponto cruz gigantesco. Certamente a obra diz muito para os observadores. Nada tão comum e vulgar do que o céu e, no entanto, algo realmente misterioso. Todo mundo fala do céu, todos olhamos para o céu, e o céu significa tantas coisas. Uma palavra polissêmica, polivalente, uma palavra-chave. Ela costura um céu em ponto cruz. Terá ela falando algo do universo feminino e por isso mesmo transcendente ao gênero em si? Estará falando da questão lúdica de ver imagens no céu tão monótono da megalópole onde se encontra o MASP? Estará refletindo ela sobre os céus azuis de todo mundo que recolhem nosso olhar em todos as partes do planeta? Estará falando do azul, a cor que evoca distâncias e para onde convergem todos os olhares que encontram abrigo refugiando-se na imensidão?
De qualquer modo ela estava pensando em três realidades distintas e complementares: o gênero (trama do tecido, o ponto cruz), a cor como signo, e as nuvens que passam (a fluidez do todo que nos rodeia). Pelo menos algo em mim foi tocado pela obra monumental da  nova pele colada no MASP. Me  fez  refletir sobre o que é efêmero e passageiro e o que é perene e duradouro no mundo do agora.
Regina Silveira prepara outras obras, por exemplo répteis rodeando um ovo gigante que vão para a Bienal de Nova Orleans, e uma frase em letras espelhadas deverá ser fixada na fachada da Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre, onde ela abre mais uma retrospectiva em março do ano que vem.


REGINA SILVEIRA - TRAMAZUL

Obra "Tramazul" da artista gaúcha Regina Silveira na fachada do prédio do MASP  
(Av. Paulista - SP)
PDA
(Public display of affection)
Av. Paulista
SAMPA 
Bira e Luciane

SAMPA
Bira e Luciane

STREET ART

STREET ART

KALIGRAPHYTI

Kaligraphyti

STREET ART

Street art 
(São Paulo)

WAITING FOR THE PLAIN

In the airport
(21/XI/2010)

SE NÃO NESTE TEMPO AGORA - PINTURA ALEMÃ CONTEMPORÂNEA 1989 - 2010

PANORAMA DA EXPOSIÇÃO:
SE NÃO NESTE TEMPO
PINTURA ALEMÃ CONTEMPORÂNEA
1989 - 2010

MARTIN KIPPENBERGER

MARTIN KIPPENBERGER

LUGARES ESTRANHOS E QUIETOS

WIN WENDERS
MASP - SP

WIN WENDERS

LUGARES ESTRANHOS E QUIETOS 
WIN WENDERS 
MASP - SP

TATJANA DOLL

Tatjana Doll
MASP - SP

THOMAS ZIPP

Thomas Zipp
MASP- SP

SIGUR RÓS

SIGUR RÓS

terça-feira, 23 de novembro de 2010

THE JOSHUA TREE UNDER THE MILKWAY BY SIGUR RÓS




Joshua Tree Under the Milky Way from Henry Jun Wah Lee on Vimeo.
JOSEPH BEUYS 
SESC - POMPÉIA - SP

JOSEPH BEUYS

JOSEPH BEUYS
JOSEPH BEYS 
SESC POMPÉIA - SP
JOSEPH BEUYS
JOSEPH BEUYS
SESC POMPÉIA - SP

JOSEPH BEUYS - SESC POMPÉIA - SP

JOSEPH BEUYS
JOSEPH BEUYS 
SESC - POMPÉIA - SP
JOSEPH BEUYS

JOSEPH BEUYS

JOSEPH BEUYS 
SESC POMPÉIA - SÃO PAULO

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

CAIO FERNANDO ABREU

 CAIO FERNANDO ABREU

"Meu coração é um bar de uma única mesa, debruçado sobre a qual um único bêbado bebe um único copo de bourbon, contemplado por um único garçom. 
Ao fundo, Tom Waits geme um único verso arranhado. Rouco, louco. (...)

(...) Meu coração é um filme noir projetado num cinema de quinta categoria. A platéia joga pipoca na tela e vaia a história cheia de clichês.

(...) Meu coração é um deserto nuclear varrido por ventos radiativos. "