quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

IMAGEM DE UM BRASIL

Os atuais eleitos e seus eleitores vivem dia a dia para destruir, empobrecer e escravizar o povo brasileiro. A destruição vem de seu lobby aos parasita gestores para que estes deixem de investir em saúde (SUS) e educação (Universidade pública universal e Gratuita). Assim, sucateadas e desvalorizadas essas instituições empobrecidas, destruídas em sua aura de abrangência podem ser vendidas para abutres sempre de plantão. 
O empobrecimento do povo é diretamente proporcional ao enriquecimento dos herdeiros de sempre e de seus subalternos, prepostos capitães do mato, políticos e juízes, se unem para retirar do trabalhador seus direitos historicamente conseguidos com longas lutas de todo um povo. O empobrecimento também vem pelas mãos de pastores infiéis, servidores do mercado, capachos de Mammom, da busca gananciosa do ganho, exploradores do trabalho alheio em nome de Deus. Se fartam em banquetes intermináveis e vivem em castelos nas alturas. Suas condutas lascivas, e degenerada interpretação do Livro, mantém seus seguidores escravos de sua obtusa, repugnante e falsas palavras. O povo então falsamente conduzido, transformado em escravo afasta de si a cultura e se joga no abismo sem fundo dessa seita. Sectários, são cegos para o próximo e para o mundo. 
Essa união entre eleitores rasos e sectários, pastores gananciosos, gestores eleitos para trabalhar para os ricos leva e levará a passos largos, a toque de caixa, todo o povo para um não-lugar de escárnio e chacota. 
Um limbo onde se vive de forma esquecida e sem a visão plena das conquistas racionais do homem e privado da visão abrangente e esperançosa de que podemos transformar o mundo. 
Esse lugar  onde o respeito às diferenças, a inclusão dos desafortunados, a empatia, as perfeições habituais e estáveis da inteligência e da vontade humanas, que regulam nossos atos, ordenam nossas paixões e guiam nossa conduta, foram esquecidas. 
Nos tornamos escravos, empobrecidos, destruídos do que é humano em nos. 
Nos tornamos sepultos caiados; não por nossa própria vontade mas pela articulação de representantes mesquinhos, pastores gananciosos e gestores sedentos de poder, subalternos ao império do capital. 

Nunca nos desenvolveremos como povo livre se nos esquecermos que pertencemos a classe trabalhadora do mundo. Nunca nos desenvolveremos como povo livre se seguirmos falsos pastares que coletam nosso dinheiro para seu próprio bem; nunca nos desenvolveremos se nos alienarmos da razão.  

Nenhum comentário: