domingo, 21 de junho de 2015

VERBETE: TRABALHO

O HOMEM E O TRABALHO

1. SAÚDE & TRABALHO

"Diremos que o homem sadio não se torna doente enquanto sadio. Nenhum homem sadio torna-se doente, pois ele só é doente quando sua saúde o abandona e, nesse momento, ele não é  sadio. O homem dito sadio não é, então, sadio. Sua saúde é um equilíbrio conquistado à custa de rupturas incoativas. A ameaça da doença é um dos  constituintes da saúde” (pág, 261, tradução modificada. Georges Cangilhem). 

2. DEFINIÇÃO 

Trabalho, segundo a etimologia, é tormento e tortura. Tortura é sofrimento executado para obter revelação de uma verdade. As doenças são os instrumentos da vida pelas quais o vivente (vivant), desde que se trate do homem – sente-se obrigado a confessar-se mortal”. 
(Georges Canguilhem,
Ecrits sur la médicine, Seuil, Paris, 2002, pg 48.)


3. ORIGEM
 
Origem da palavra Trabalho

A palavra "trabalho" tem sua origem no vocábulo latino "TRIPALIU": denominação de um instrumento de tortura formado por três (tri) paus (paliu). Desse modo, originalmente, "trabalhar" significa ser torturado no tripaliu. 

Quem eram os torturados? Os escravos e os pobres, os excluídos, que não podiam pagar os impostos. Assim, quem "trabalhava", naqueles tempos, eram as pessoas destituídas de posses. A partir daí, essa idéia de trabalhar como ser torturado passou a dar entendimento não só ao fato de tortura em si, mas também, por extensão, às atividades físicas produtivas realizadas pelos trabalhadores em geral: camponeses, artesãos, agricultores, pedreiros etc. Tal sentido foi de uso comum na antigüidade e, com esse significado, atravessou quase toda a Idade Média. Só no século XIV começou a ter o sentido genérico que hoje lhe atribuímos, qual seja, o de "aplicação das forças e faculdades (talentos, habilidades) humanas para alcançar um determinado fim". Com a especialização das atividades humanas, imposta pela evolução cultural (especialmente a Revolução Industrial) da humanidade, a palavra trabalho tem hoje uma série de diferentes significados, de tal modo que o verbete, no Dicionário "Aurélio" de Língua Portuguesa, lhe dedica vinte acepções básicas.  


O trabalho para algumas pessoas muitas vezes é praticamente lazer, isto porque estas pessoas fazem o que realmente gostam e em local estimulante e psicologicamente desafiador ou trabalham por conta próprias, no que gostam, dedicando-se  ao máximo a sua atividade. Atividade que as tornam felizes. Para estas pessoas o trabalho não é um fardo nem tortura, mas algo que as define e as justifica como ser humano. 

No entanto para uma grande maioria das pessoas do mundo tanto no passado quanto hoje, o trabalho é apenas uma atividade que devem fazer para conseguirem sobreviver, não apresentando nenhum desafio intelectual ou psicológico e por essa razão essas atividades não as definem e nem as elevam. Torna-se uma tarefa que diz respeito apenas a sobrevivência e nada mais. Um fardo. Para a maioria das pessoas isso acaba não afetando em nada, elas recebem dinheiro para sobreviver e muitas vezes sentem-se gratificadas pelas atividades que desempenham, o que leva a alegrias e muitas vezes constroem carreiras efetivas e produtivas que duram uma vida. Outras vezes aprendem a amar sua atividade até que essa atividade as define e as justifique de uma maneira elevada. Mesmo assim, estão ligadas a essa atividade pelo salário que recebem. Fazem muito e quase nunca recebem com justiça pelos serviços realizados. Sua justificação não é dada, então, pela atividade mas pelo salário. Sua energia transformada em um símbolo que ela usa para trocar por bens. Uma imagem distante da realidade. Já que o dinheiro não repõe a saúde perdida, o tempo perdido, o sonho adiado. 

Mas de qualquer forma o trabalho sempre fará parte de nossa vida. Acredito que todos deveríamos ter uma atividade que eleve nosso espírito, que nos justifique de uma forma superior, que possibilite nossa evolução como indivíduos e como homens; e que leve a pensar a humanidade em cada ato, refletir sobre os problemas que temos como seres em busca da felicidade. Não acredito em pessoas que por alguma situação nunca trabalharam ou que ganharam tudo o que possuem de outros. Não sei bem o porquê mas isso me leva pensar nos valores que essas pessoas possuem. Logo, o trabalho é parte da minha identidade, dos valores que tenho e construí e dos sonhos que engendrei através do que aprendi e continuo a aprender cada dia em minhas atividades. O trabalho deve por sua vez educar tanto a vida vegetativa quanto a vida estética (o gosto).  Educar (ex ducere) a alma e o corpo, o outro é a comunidade.  

O trabalho em síntese, mais do que ser etimologicamente um instrumento de tortura é um instrumento de produção, de criatividade, por onde vem ao mundo ações, obras, e produtos que melhoram a vida do homem. O trabalho é qualquer atividade que produz ideias e bens que nem sempre são remunerados economicamente mas que geram bem estar e felicidade, pelo menos assim o são em sua origem, ou seja no pensamento.


Bibliografia 

http://www.paradigmas.com.br/parad28/p28.8.htm

Wikipedia Enciclopédia online. 




Nenhum comentário: