domingo, 15 de agosto de 2010

SAKINEH MOHAMMADI ASHTIANI

Sakineh Mohammadi Ashtiani

Tolerância acima de tudo!


Que deus é esse que deseja que uma mulher morra porque foi infiel ao seu marido?
Que costumes primitivos permitem que um dos seus seja brutalmente assassinado por não concordar com praticas culturais atrasadas e ignorantes? Que buraco, que grota, qual local no mundo se orgulha de costumes bestiais abaixo até do comportamento animal? Que mente perversa e desumana permitiria que alguém fosse morto por trair seu marido? Como pode ser sã uma sociedade que se assenta sobre a violência contra os outros, na agressão contra a natureza e na marginalização das mulheres ?
Eu respondo: esse lugar e essa sociedade existe... é um lugar pleno de riquezas materiais (produção de petróleo) embora grande parte do seu povo passa fome, esse buraco no mundo, não fica distante, negociamos com eles, transacionamos em diversos níveis com essas pessoas... Eles inventaram um deus cruel, perverso e bárbaro... para o qual fazem jejum, oram e levantam templos... um lugar que deveria se orgulhar de ter sido o berço da civilização humana... dos primeiros assentamentos humanos e das primeiras cidades, um lugar que deveria ser uma das portas do paraíso, mas age como uma matilha de cães raivosos e bestiais, como uma porta do inferno. Feras descontroladas e ignorantes. Que profeta sujo e ignóbil escreveu leis ignorantes e brutais que oprimem o homem? Duvido muito que o tenha feito. Quem precreveu costumes que trazem o radicalismo e a infelicidade? Que mata os diferentes e aqueles que pensam e agem de forma contrária a hegemonia da classe dominante?
Que juízes julgariam com sangue na boca e nas mãos? Que corpus de leis permite que alguém seja morto por um delito irrelevante? Que cultura machista, que povo sem conhecimento deixaria um dos seus morrer assim de maneira brutal e sem sentido? Esse mesmo povo deveria se revoltar uma vez que hoje esta sendo essa senhora, amanhã sera qualquer um deles.
Sim, precisamos evoluir como espécie como raça e como cultura humana que somos, e olhar para o céu interior onde reina o humano absoluto em nós. O princípio da solidariedade e da democracia da diversidade e da tolerância, da boa vontade entre os seres humanos e onde há sobretudo amor.
Se há um deus, ele dever ter a forma do homem que o criou, belo em toda sua totalidade. Ele dever ser o puro amor, como o amor do homem por todas as criaturas que compartilham esse ponto no universo. Ele é a inteligência humana absoluta ele é o logos que vê tudo em todos os tempos. Nenhum homem deseja que outro ser morra, a menos que seja doente ou que pertença a uma cultura ou a uma sociedade doente, pobre de espírito, onde lhe falta tudo, porque lhe falta compreensão e a sensibilidade de se colocar no lugar do outro. Sobretudo porque lhe falta amor para com todos os seres vivos do mundo. Falta o entendimento de que todos os seres vivos que existiram e que existem, são parte da nossa história... falta humanidade. Eu deploro essa parte da humanidade que involuiu que retrocedeu ou nem chegou a andar em direção a luz da razão, do amor e do que nos faz humano: o perdão e a compreensão do outro na totalidade dos seus atos.
Esse povo esqueceu de Ahura Mazda e de Zoroastro, esqueceu que, se há um deus, ele compartilha da centelha de vida em todo ser vivo que cria. Esqueceram os bons pensamentos, as boas palavras e as boas ações... se deixaram levar pela animalidade e se tornaram maus... vivem para sofrer nesse mundo cheio de belezas que eles não reconhecem mais.

How (πῶς) can one (τις) hide (λάθοι) from that which never (ποτε) sinks to rest (τὸ μὴ δῦνόν)?


Leia também:
http://www.estadao.com.br/especiais/caso-sakineh-ashtiani,114740.htm

Nenhum comentário: